Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Sátão: Jorge Oliveira ex-presidente da União de Freguesias de Romãs acusado pelo Ministério Público

Sátão: Jorge Oliveira ex-presidente da União de Freguesias de Romãs acusado pelo Ministério Público

O Departamento de Investigação e Ação Penal de Viseu, deduziu acusação contra o ex-executivo do PSD da União de Freguesias de Romãs, Decermilo e Vila Longa, presidido à data por Jorge Oliveira, a notícia é avançada esta sexta-feira pelo Jornal do Centro.

No processo estão ainda envolvidos, em coautoria do executivo o então secretário José Manuel Lopes Ferreira e o tesoureiro José Andrade.

Todos estão acusados de abuso de poder e de violação de normas de execução orçamental.

Em causa está a atribuição de 140 mil euros de subsídios a dois dias do executivo do PSD presidido por Jorge Oliveira, cessar funções após ter perdido as eleições autarquia de 2017 para a coligação PNT.

A acusação baseia-se no subsídio de 120 mil euros que foi atribuído ao Centro Social e Paroquial de Romãs e 20 mil euros à Fabrica da Igreja Paroquial.

O Ministério Público, aponta como ilegalidade desta decisão, o facto de os subsídios terem sido assumidos, autorizados e pagos sem cabimento orçamental.

Contactado pela Alive Fm, Jorge Oliveira, ex-presidente da União de Freguesias, diz que a atribuição dos subsídios foi votada por unanimidade e estavam inscritos em orçamento.

O ex-presidente da União de Freguesias de Romãs, Decermilo e Vila Longa, diz que não foi cometida nenhuma ilegalidade na atribuição dos subsídios ao Centro Social e Paroquial e Fábrica da Igreja.

Jorge Oliveira, salientou à Alive Fm, que a deliberação para a atribuição destes subsídios já tinha meses e foi aprovada pelo executivo por unanimidade .

Jorge Oliveira diz que está de consciência tranquila na atribuição deste dois subsídios.

O ex-autarca Jorge Oliveira, quando questionado pela Alive Fm, pelo trabalho que o Centro Social e Paroquial de Romãs presta à população, Jorge Oliveira emocionou-se.

A Alive Fm sabe que o dinheiro atribuído ao Centro Social e Paroquial de Romãs, de 120 mil euros, está depositado numa instituição bancária.

 

Pode ver também

Desmantelamento dos pórticos no antigo IP5 condiciona trânsito na zona de Viseu

As Infraestruturas de Portugal informam que, no âmbito dos trabalhos de “Desmantelamento dos pórticos de …

Comente este artigo