Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Prisão do Campo dedica-se à flor do cardo

Prisão do Campo dedica-se à flor do cardo

O Estabelecimento Prisional de São José do Campo, em Viseu, acolhe hoje, pelas 16:30h, uma cerimónia pública sobre o projeto CARDOP levado a efeito nesta instituição. O programa contempla a entrega de flores de cardo a produtores de queijo Serra da Estrela, que têm colaborado no projeto desde a sua génese, como prova da capacidade produtiva e do know-how instalado no Estabelecimento Prisional do Campo, seguindo-se uma prova de degustação de Queijos Serra da Estrela, produzidos com base em flores desenvolvidas por este projeto.

O evento será presidido pela Secretária de Estado Adjunta e da Justiça, dr.ª Helena Mesquita Ribeiro, e conta ainda com as presenças do Subdiretor Geral da DGRSP, dr. Paulo Moimenta, do Presidente da Câmara Municipal de Viseu, dr. Almeida Henriques, e do Presidente do Instituto Politécnico de Viseu, eng.º Fernando Sebastião.

O projeto CARDOP tem vindo, desde 2010, a estabelecer parcerias com instituições de diversa índole, científica, cultural e social, para estudar e conhecer melhor a flor de cardo como ingrediente obrigatório do Queijo Serra da Estrela.

Este percurso levou à instalação de cerca de uma dezena de campos e mais de 5.000 plantas, que permitem um conhecimento mais abalizado sobre esta espécie e produzir flor de cardo com uma qualidade irrepreensível para fornecer algumas das queijarias de referências da região.

Um dos campos que mais orgulha este projeto é o que se encontra no Estabelecimento Prisional do Campo, que foi estabelecido em 2013 como um local experimental de cardo com a vocação de produção de flor, sendo atualmente uma referência na região e no País.

Neste estabelecimento encontra-se uma seleção de recursos genéticos de cardo, que representa não apenas um repositório, mas um potencial de futuro que irá assegurar a prossecução da utilização da flor de cardo como elemento diferenciador e exclusivo na produção do Queijo Serra da Estrela na região de Denominação de Origem Protegida.

O conceito, criado originalmente com a visão estratégica do à data diretor, dr. Miguel Alves, e o planeamento agrícola do eng.º Nuno Pestana, formado na Escola Superior Agrária de Viseu (ESAV), tornou-se uma realidade através da vontade dos próprios reclusos, que têm colaborado de forma ativa e inexcedível neste desígnio que é hoje levado a cabo por outros atores ao nível da coordenação, dr. José Pedreira, atual diretor, e da execução, pelo coordenador agrícola, sr. José Oliveira.

Este é um estabelecimento prisional, onde os reclusos, ao contrário do que vemos em outras partes do mundo, não fazem motins sem motivo algum, mas plantam e produzem flores de cardo para produtores queijo Serra da Estrela.

O trabalho desenvolvido no âmbito do CARDOP pretende dar resposta aos anseios dos produtores para que o queijo Serra da Estrela DOP se constitua como a imagem da “Ruralidade” mais capaz e inovadora, marca de um vasto território, das suas paisagens, dos seus recursos genéticos animais e vegetais, das suas gentes, cultura e tradições, traduzido num número exclusivo de produtores que se pretende ajudar a inovar na tradição num mercado extremamente competitivo, marcando presença ao lado dos melhores produtos agroalimentares. A uma qualidade e cuidado na produção e apresentação, que representa toda uma geografia, junta-se a “Alma” dos seus criadores, um pouco à imagem do Care, Love and Soul, característicos da excecionalidade de poucas criações, entre as quais este ícone se tem que incluir.

 

Pode ver também

Transporte de água para Fagilde não vai parar mesmo com previsão de chuva

As descargas de água diárias feitas através de 45 camiões-cisternas dos bombeiros na barragem de …

Comente este artigo