Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Viseu. Projeto “Be Safe” vai promover a saúde e o bem-estar dos frequentadores de espaços de divertimento noturno

Viseu. Projeto “Be Safe” vai promover a saúde e o bem-estar dos frequentadores de espaços de divertimento noturno

Uma equipa multidisciplinar vai, durante cerca de um ano, trabalhar junto de espaços de divertimento noturno da cidade de Viseu, com o objetivo de promover a saúde e o bem-estar dos seus frequentadores.

O projeto Be Safe, visa “a redução de riscos e a diminuição de danos” associados às práticas sexuais e ao consumo de substâncias psicoativas, explicou a sua coordenadora técnica, Andreia Nisa.

 “É uma resposta que tem uma visão humanista e pragmática, porque reconhece que há pessoas que consomem substâncias psicoativas, sejam elas lícitas ou ilícitas, e que o vão continuar a fazer”, explicou, acrescentando que tal “não quer dizer que não estejam dispostas a cuidar da sua saúde e da saúde dos que as rodeiam”.

Promovido pela associação Existências (sediada em Coimbra), em parceria com o Instituto Piaget, este projeto vai desenvolver-se sobretudo junto de espaços de recreação noturna das zonas de Jugueiros e da Sé (onde há maior concentração de bares e discotecas), por uma equipa que inclui jovens com formação em Psicologia, Química e Enfermagem.

“A intervenção de proximidade, a intervenção ‘online’, a formação e a investigação são as nossas linhas fortes de ação”, frisou a responsável.

O projeto tem onze ações previstas, que vão desde a instalação de um stand nos festivais, discotecas, bares e eventos de rua (Be out), até um estudo exploratório (Be Safe at Night), passando pela intervenção ‘online’ (Be On), pela formação (Be Form) e por ações destinadas especificamente a jovens e jovens adultos que esporadicamente bebem de forma excessiva (Being Drinking) e à população feminina (Be Women).

Segundo Andreia Nisa, o stand poderá ter várias vertentes: um espaço de descanso, tampões auditivos, ‘kits de sniff’, testes de alcoolemia, preservativos e lubrificantes e informações sobre substâncias e sexualidade.

“Será adaptado ao local onde se encontra e à população em que iremos intervir. Pode haver um sítio que tem só um serviço e outro que tem todos os serviços”, explicou, acrescentando que estão previstas duas saídas por semana, uma mais virada para a população universitária e outra para a população da cidade.

O estudo exploratório era inicialmente para abordar temas como o sentimento de segurança individual, a segurança nos espaços de festa e o sentimento de inclusão e exclusão na noite de Viseu, mas, devido à pandemia de covid-19, isso só acontecerá daqui a um ano.

“Este ano vamos ver como é que a covid-19 alterou, ou não, os contextos festivos de Viseu e o consumo de substâncias psicoativas”, afirmou Andreia Nisa.

A responsável disse ainda que, daqui a um ano, realizar-se-á um seminário para apresentar as conclusões deste estudo exploratório, refletir com outros parceiros e encontrar estratégias a aplicar futuramente.

“Os tempos são desafiantes, mas o facto de não deixarmos de o fazer mostra que o caminho existe e que o futuro vai ser a retoma da nossa vida”, considerou o secretário-geral do Instituto Piaget, Rui Tomás.

 

Pode ver também

Prisão preventiva para detido por violência doméstica em Castro Daire

Um homem, de 41 anos, residente no concelho de Castro Daire, no distrito de Viseu, …

Comente este artigo