Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Resíduos têxteis de empresas de Vouzela vão ganhar nova vida

Resíduos têxteis de empresas de Vouzela vão ganhar nova vida

Resíduos têxteis de duas empresas de Vouzela vão ganhar nova vida no âmbito de um projeto de economia circular, através do qual a Câmara quer criar produtos de ecodesign e proporcionar uma receita extra aos munícipes.

“No setor têxtil, as empresas têm muitos sobrantes, material que, se não fosse reutilizado no âmbito desta iniciativa, teria de ser levado para um aterro ou para incinerar”, explicou à agência Lusa o presidente da Câmara de Vouzela, Rui Ladeira.

O autarca daquele concelho do distrito de Viseu disse que, de imediato, começará a formação que permitirá colocar a funcionar uma oficina de costura na comunidade, provisoriamente na Associação Cultural e Recreativa de Cambra (futuramente passará para a antiga escola primária de Cambra, que vai entrar em obras).

Intitulado “by.Vouzela”, este projeto – que foi hoje apresentado publicamente – envolve a autarquia, a associação de promoção Vouzelar, a União de Freguesias de Cambra e Carvalhal de Vermilhas, a Associação Cultural e Recreativa de Cambra, as empresas Faurecia e Brintons, a Escola Profissional de Vouzela, a Universidade da Beira Interior e a Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos.

Rui Ladeira explicou que a ideia é “dar uma nova vida aos resíduos que não são utilizados por estas duas indústrias” que estão instaladas no concelho.

“Com isto, queremos fazer um modelo social colaborativo, com matéria-prima e talento local”, criando um negócio com a marca “by.Vouzela”, acrescentou.

Segundo o autarca, este é um projeto “que encaixa na estratégia da sustentabilidade” em que o município está focado.

“Mais importante do que dizer que queremos alinhar nesta estratégia, é ter projetos que venham a cumprir esse desígnio: a reciclagem, o uso e a transformação”, frisou.

Rui Ladeira referiu que qualquer pessoa poderá trabalhar na oficina, desde que integre “um plano de formação, de regras e de boas práticas” e que assuma compromissos, porque o projeto tem associada a marca “by.Vouzela”.

As peças finais, criadas com o apoio de designers, serão depois colocadas à venda, gerando “um complemento financeiro para quem integre este projeto”.

De acordo com o autarca, o objetivo é o de, “com este processo de valorização do produto, criar economia local, colaborativa e social para quem precisa”.

O projeto conta com uma verba de 15 mil euros, resultante dos Prémios Caixa Social 2022, que, no entender de Rui Ladeira, foi já um reconhecimento da sua importância.

Lusa

 

Pode ver também

Águas do Norte investe 1,5 milhões de euros em água e saneamento em Cinfães

A Águas do Norte vai avançar com uma empreitada no valor de 1,5 milhões de …

Comente este artigo