Home / Notícias / Mortágua: Regadio do Bloco de Macieira vai receber investimento de 4,5 milhões de euros

Mortágua: Regadio do Bloco de Macieira vai receber investimento de 4,5 milhões de euros

Foi aprovada a candidatura para a execução da operação de regadio do Bloco de Macieira, tendo sido atribuído um valor de financiamento de 4.537.656,04 euros.

A obra do Bloco de Macieira – Aproveitamento Hidroagrícola das Várzeas das Ribeiras da Fraga e de Mortágua Mortágua, é um dos investimentos abrangidos pelo Plano Nacional de Regadios. O projeto é financiado a 100% e tem como finalidade a obtenção de maiores e melhores produções, a promoção da diversificação produtiva, o incentivo ao associativismo agricola, proporcionando, deste modo, um maior rendimento aos agricultores.

O projeto compreende a construção da rede de rega, de rede viária e rede de drenagem, abrangendo uma área agrícola de cerca de 180 hectares, distribuída pelas várzeas de Pala, Macieira, Monte de Lobos, Moitinhal, Vale de Remígio, Gândara, Póvoa e Povoinha.

Irá ser celebrado um contrato-programa entre o Município e o Ministério da Agricultura, uma vez que caberá ao Município o lançamento do concurso público, a execução e respetiva fiscalização da obra.

O presidente da Câmara Municipal, Ricardo Pardal, considera que o regadio do Bloco de Macieira é um projeto estruturante na estratégia de desenvolvimento económico do concelho, contribuindo para a revitalização do setor agricola, a rentabilização da atividade e o aumento dos rendimentos dos agricultores e empresários agrícolas. “É fundamental valorizar a agricultura, a produção local, para que as pessoas vejam aqui oportunidades e uma opção viável, sustentável e rentável em termos futuros”.

E lembra que houve uma grande adesão dos agricultores, superior a 90%, na fase da candidatura, o que demonstra de uma forma clara e esmagadora o interesse dos agricultores neste projeto.

Segundo Ricardo Pardal, a implementação do sistema de regadio e a disponibilidade de água, ganha ainda maior acuidade face ao cenário das alterações climáticas e aos períodos prolongados de seca, como aliás se está a verificar nos últimos quatro meses. A Barragem de Macieira destina-se a fins agrícolas, podendo também, subsidiariamente, servir como infraestrutura de apoio ao combate aos incêndios (reserva estratégica de água).

 

Pode ver também

Viseu, Mangualde, Sátão, Santa Comba Dão e Aguiar da Beira – Cinco detidos por tráfico de estupefacientes

O Comando Territorial de Viseu, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Mangualde, ontem, …

Comente este artigo