Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Filmagens de “Velocidade Furiosa 10” tem “enorme impacto económico em Portugal”

Filmagens de “Velocidade Furiosa 10” tem “enorme impacto económico em Portugal”

A rodagem em Portugal de parte do filme “Velocidade Furiosa 10”, e de outras produções de grande orçamento, “tem um enorme impacto economicamente, porque é investimento direto no país”, afirmou à agência Lusa a produtora portuguesa associada ao projeto, sem quantificar.

Sofia Noronha, da produtora Sagesse Productions, confirma que estão previstas filmagens do mais recente filme da série “Velocidade Furiosa” nas regiões norte, centro e em Lisboa, “durante umas boas semanas”, envolvendo muitos municípios e a presença em Portugal de uma equipa que contará com 600 a 700 pessoas, entre profissionais portugueses e estrangeiros.

Na quinta-feira, o Jornal do Centro noticiava que a região de Viseu, nomeadamente o antigo IP5, será palco de algumas filmagens desta longa-metragem, enquanto o presidente da câmara de Vila Real, Rui Santos, afirmava publicamente que a cidade acolherá uma produção de Hollywood ligada à “alta velocidade”, entre junho e julho.

“Este tipo de produções abrange vários setores, carpintaria, construção, maquinaria, guarda-roupa, pequenos negócios, é uma área bastante completa”, disse Sofia Noronha, adiantando que a rodagem contará também com atores portugueses, ainda não anunciados.

“Fast X”, o décimo filme da lucrativa série “Velocidade Furiosa”, é realizado pelo francês Louis Leterrier, que dirigiu, entre outros, “Mestres da Ilusão” e “O Incrível Hulk”. Inicialmente o realizador de “Fast X” era Justin Lin, que acabou por desistir de dirigir o filme, mas manteve-se ligado ao projeto.

Com argumento de Justin Lin e Dan Mazeau, o filme conta no elenco com, entre outros, Vin Diesel, Charlize Theron, Jason Momoa, Brie Larson, Michelle Rodriguez e a portuguesa Daniela Melchior, e a rodagem acontece no Reino Unido, Itália e Portugal.

De acordo com a publicação norte-americana The Hollywood Reporter, o orçamento do filme já ultrapassou os 300 milhões de dólares (cerca de 284 milhões de euros), valor que não inclui gastos em ‘marketing’ e publicidade.

Por questões de confidencialidade contratual, há muitos detalhes que não podem ser revelados, nomeadamente orçamentais, mas a produtora diz que “é um investimento económico brutal no país”.

“É abrir as torneiras e utilizarmos o máximo de serviços portugueses. […] Portugal tem todas as condições para ser um grande sítio de filmagens, não só pelo tempo, pelos preços acessíveis e pela mão de obra, que somos todos bastante flexíveis, os portugueses aprendem muito rápido. Mas não tínhamos ainda este mercado aberto”, disse.

A Sagesse Productions foi criada em 2020 em plena pandemia, “numa altura tão incerta”, disse Sofia Noronha, mas com trabalho consecutivo deste então.

Além de “Fast X”, a produtora esteve envolvida, por exemplo, nas filmagens de “House of the Dragon”, a prequela da série televisiva “A Guerra dos Tronos”, parcialmente rodada em 2021 em Monsanto, e que se estreia a 22 de agosto próximo na plataforma de ‘streaming’ HBO MAX.

“Já tinham filmado em Espanha, surgiu-lhes curiosidade em Portugal, em fazer uma visita técnica, para explorarem sítios – e encontraram vários -, mas aquele que ficou mesmo, que eles se apaixonaram, foi Monsanto”, recordou Sofia Noronha, que dá como certo o regresso da produção a Portugal para uma nova temporada.

Outra das produções em que está envolvida é o filme “Nobody’s Heart”, da realizadora espanhola Isabel Coixet, cuja pré-produção arrancará em agosto em Portugal.

Para Sofia Noronha, a criação de incentivos fiscais, pelo Governo em 2018, é uma das razões de ser da presença de mais produções estrangeiras como “Fast X” em Portugal.

“A indústria cinematográfica está habituada a esses incentivos e todos os nossos concorrentes e vizinhos têm incentivos fiscais, porque normalmente o investimento feito no país é quase o dobro desse incentivo fiscal, o país acaba sempre por beneficiar”, disse.

De acordo com o relatório mais recente sobre incentivos à produção cinematográfica e audiovisual e captação e filmagens internacionais, referente a 2018-2020 e disponibilizado online, foi apoiada a produção de 48 obras, com um incentivo total de 15,3 milhões de euros, e o investimento global em Portugal foi de 58,7 milhões de euros.

O filme “Fast X” tem estreia prevista para 19 de maio de 2023, nas salas de cinema dos Estados Unidos da América.

 

Pode ver também

Câmara de Viseu pede adesão às Águas Douro e Paiva para abastecimento em alta

O presidente da Câmara de Viseu anunciou que já assinou o pedido de pré-candidatura para …

Comente este artigo