Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Festival de Street Art de Viseu vai criar 15 novas paisagens artísticas

Festival de Street Art de Viseu vai criar 15 novas paisagens artísticas

O concelho de Viseu vai ficar com 15 novas paisagens artísticas, inspiradas na temática da gastronomia, durante a quinta edição do Festival de Street Art Tons da Primavera, que decorrerá de 09 a 12 de maio.

Aquela que será a sua quinta edição, o Festival de Street Art renova a aposta em artistas internacionais.

Segundo Jorge Sobrado, o artista plástico cabo-verdiano Tutu Sousa e o brasileiro UTOPIA estarão também presentes, juntando-se aos portugueses HAZUL, REGG, Pedro Raposo Mendes, Oker & Asno, GLAM e a Draw & Contra.

Esta dupla vai executar um grande mural de tributo a Dom Zeferino, considerado o maior nome da gastronomia viseense no século XX.

O vereador da cultura na camara de Viseu, salientou que a quinta edição do Festival de Street Art terá também uma forte presença de artistas de Viseu, como Rosália Marques, Rosário Pinheiro, YOUTHONE, Luís Daniel e o coletivo Ergo Bandits.

Além da pintura mural, haverá “uma grande exposição de fotografia, a céu aberto, nos varandins, nas janelas, nas passagens entre casas” do centro histórico, dedicada ao tema da gastronomia e dos produtos da terra, da autoria do fotógrafo Pedro Raposo Mendes, que está a fazer uma residência em Viseu.

“A pintura mural é a arte maior do festival, mas, além da fotografia, vai ter também escultura pública”, avançou o vereador.

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, destacou o facto de, mais uma vez, o festival estar também presente nas freguesias periurbanas e rurais, como Orgens, Campo, Repeses e São Salvador, Fragosela, Abraveses, São Cipriano e Vil de Souto.

Após este festival, o concelho de Viseu ficará com um roteiro de ‘street art’ que inclui 60 locais a visitar.

Para o curador artístico do festival, Frederico Campos  esta é “a edição do ‘mais'”: “com mais intervenções, mais artistas, mais estrangeiros, mais artistas locais, mais mulheres, mais suportes e técnicas diferentes”, sublinhou.

Durante o festival, o Mercado 2 de Maio acolherá concertos, espetáculos, oficinas para todas as idades, ‘street food’ e artesanato da região.

 

Pode ver também

Queiriga: Centro de Memória das Migrações – Preservar as Memórias da Emigração

O Município de Vila Nova de Paiva está a proceder à recolha de bens (fotografias, …

Comente este artigo