Home / Notícias / Câmara de Cinfães promove agricultura familiar com oferta de sementes

Câmara de Cinfães promove agricultura familiar com oferta de sementes

“Semear Cinfães” dá nome ao projeto da Câmara de Cinfães, para incentivar e promover a agricultura, de modo a ajudar no orçamento familiar, diminuir o risco de incêndio e proporcionar melhor alimentação, disse hoje o presidente da autarquia.

“Estamos numa crise tremenda, com uma inflação enorme que impõe uma série de dificuldades às famílias e o nosso concelho é rural, mas tem um enorme abandono das terras e, assim, podemos voltar a dar-lhes vida”, admitiu Armando Mourisco.

O presidente socialista da Câmara Municipal de Cinfães disse à agência Lusa que este foi um dos propósitos para lançar a campanha “Semear Cinfães” que, após um dia de promoção nas redes sociais da autarquia “conquistou cerca de 100 residentes que aderiram” ao projeto.

Com um custo, para a autarquia, de “cerca de 30 euros”, cada ‘pack’ engloba sementes como batatas, ervilhas, feijões, espinafre, nabo, pimento, repolho, cenouras, alhos, couves, alfaces, nabiças, salsa, pepinos, tomates, couves-flor, cebolas e brócolos”.

“Ou seja, tudo aquilo que é essencial a uma alimentação saudável e que hoje, perdoe-me a expressão, está pela hora da morte. Com este ‘kit’ estamos também a promover uma alimentação saudável e biológica”, admitiu o autarca.

Além de promover uma “melhor alimentação” aos cinfanenses, o autarca sublinhou que este projeto também “permite um envelhecimento ativo a alguns cidadãos que poderão trabalhar as terras, cada um ao seu ritmo”.

Neste sentido, adiantou que a autarquia vai oferecer ‘packs’ a todas as instituições particulares de solidariedade social (IPSS) para “promover a atividade e ocupação dos residentes e ajudar na sustentabilidade da própria instituição”.

Também as escolas vão receber um ‘pack’ de sementes com o “intuito de colocar as crianças em contacto com a terra desde cedo e incentivá-las a produzir o que comem, ou seja, é fazer com que estejam em contacto com as próprias raízes” do concelho.

Armando Mourisco referiu ainda, à agência Lusa, que, “desde muito novo” se lembra dos trabalhos agrícolas e, “com o tempo e o envelhecimento das pessoas e a saída dos jovens para outros locais isso foi-se perdendo”.

“Há um abandono das terras e a importância da agricultura, e de todo o setor agroalimentar, é importante para a economia do concelho, mas também é importante para as famílias e para o território que, estando trabalhado, é muito mais atrativo”, sustentou.

Outros dos fatores que levou o executivo municipal a aprovar o projeto na última reunião de câmara foi o de evitar os fogos, ou seja, “manter a terra trabalhada contribui e de que maneira para a diminuição do risco de incêndio”.

“Basta ter dois ou três metros de terra à volta da casa trabalhada e o risco do incêndio diminui bastante, além de incentivar e promover novamente a agricultura familiar, tradicional e biológica”, realçou.

Armando Mourisco indicou que “todos os residentes, até mesmo os que só têm segunda habitação em Cinfães, se podem inscrever” na sua junta de freguesia que, depois, a câmara fará chegar as sementes.

“Projetámos 500 ‘packs’, mas oxalá eu me engane e tenha de aumentar o número e tenha de fazer mil. Seria muito bom”, assumiu o autarca.

Lusa

 

Pode ver também

A Freguesia de Touro, no concelho de Vila Nova de Paiva foi novamente distinguida nos prémios Autarquia do Ano

A Freguesia do Touro obteve uma Menção Honrosa, na categoria Ambiente- Urbanismo e boas práticas …

Comente este artigo