Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Balanço de Natal e Ano Novo: Mais acidentes e mais vítimas mortais. Viseu com zero vítimas
Fotografia GNR

Balanço de Natal e Ano Novo: Mais acidentes e mais vítimas mortais. Viseu com zero vítimas

No período de Natal e do fim de ano, entre 19 de dezembro de 2022 e 2 de janeiro de 2023, registaram-se nas estradas de Portugal 22 vítimas mortais, mais 6 do que em igual período do ano passado.

No mesmo período, registaram-se 5.745 acidentes, mais 797 que no período homólogo, dos quais resultaram 81 feridos graves (menos 2 que no ano anterior) e 1.316 feridos leves (menos 62).

O aumento da sinistralidade no Natal e Ano Novo de 2022/2023, traduziu-se num crescimento, face ao período homólogo de 2021, no número de vítimas mortais de 22,3%, no número de acidentes de 16,1% e, numa diminuição de 3,9% no número de vítimas totais.

As 22 vítimas mortais entre os dias 19 de dezembro de 2022 e 2 de janeiro de 2023 foram provenientes de 21 acidentes nos distritos de Porto (5), Lisboa (4), Faro (3), Aveiro (2), Setúbal (2), Beja (1), Coimbra (1), Leiria (1) e Santarém (1), e bem como nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, com uma vítima mortal em cada.

Nos restantes 9 distritos do país – Braga, Bragança, Castelo Branco, Évora, Guarda, Portalegre, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu o objetivo de zero mortos nas estradas portuguesas foi atingido.

Cerca de 68% das vítimas mortais ocorreram em arruamentos (9 Vítimas Mortais (VM), 41% do total) e estradas nacionais (6 VM, 27 % do total) e cerca de 32% ocorreram em autoestradas (3 VM, 14% do total), no Itinerário Complementar n. º2 (2 VM, 9% do total), e noutras outras vias (2 VM, 9% do total).

Nos acidentes com vítimas mortais, predominaram as colisões que originaram 11 vítimas mortais (cerca de 50% do total), envolvendo 22 veículos ligeiros, 1 motociclo e 2 trotinetas. Os acidentes por despiste, originaram 7 mortos (32% do total), por parte de 4 veículos ligeiros, 1 veículo pesado, 1 motociclo e 1 ciclomotor. As restantes 4 vítimas mortais (18% do total), foram originadas em acidentes com atropelamentos com 3 veículos ligeiros e 1 veículo pesado (de recolha de resíduos sólidos urbanos).

As 22 vítimas mortais, 19 do sexo masculino, tinham idades entre 20 e 86 anos.

Cerca 5,6 milhões de veículos fiscalizados

No período de 19 de dezembro de 2022 a 2 de janeiro de 2023, foram fiscalizados cerca de 5,6 milhões de veículos, quer presencialmente, pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP), quer através de controlo por radar, pela GNR, pela PSP e pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

Do total dos veículos fiscalizados, foram registadas 51,4 mil infrações, distribuídas conforme quadro abaixo, resultando numa taxa de infração (n.º total de infrações/n.º total de veículos fiscalizados) de 0,92% (0,86% no período homólogo anterior).

Relativamente à velocidade, foram fiscalizados 5,4 milhões de veículos, dos quais 4,8 milhões pelo SINCRO – Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (89,3% do total), da responsabilidade da ANSR.

Dos veículos fiscalizados por radar de velocidade, 23,1 mil circulavam com excesso de velocidade, dos quais 9 mil foram detetados pelos radares da GNR e da PSP e 14 mil pelos da ANSR, resultando numa taxa de infração (n.º total de infrações/n.º total de veículos fiscalizados) de 0,43% (0,44% no período homólogo anterior).

No que diz respeito à condução sob o efeito do álcool, foram submetidos ao teste de pesquisa de álcool 114,7 mil condutores, tendo 1,6 mil apresentado uma taxa de alcoolemia superior à máxima permitida, do que resultou um total de 811 detenções. A taxa de infração (n.º total de infrações/n.º total de testes de pesquisa de álcool realizados) foi de 1,42%, abaixo da taxa verificada no período homólogo anterior (1,76%).

 

Pode ver também

Viseu: Greve dos professores cresce “a cada dia que passa” por culpa do Governo, diz Fenprof

O secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), Mário Nogueira, acusou hoje, em Viseu, o …

Comente este artigo