Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Três concelhos juntaram-se para reeditam “Terras do Demo” de Aquilino Ribeiro

Três concelhos juntaram-se para reeditam “Terras do Demo” de Aquilino Ribeiro

O centenário da primeira edição da obra “Terras do Demo”, de Aquilino Ribeiro, começa a ser comemorado este sábado, 11 de maio, em Soutosa, no concelho de Moimenta da Beira, alargando-se depois a outros pontos do país.

A apresentação da reedição do livro, promovida pelos municípios de Moimenta da Beira, Sernancelhe e Vila Nova de Paiva, pela Fundação Aquilino Ribeiro e pela Bertrand Editora, é o primeiro ponto do programa, que se estenderá até dia 14 de junho.

A casa de Aquilino Ribeiro, em Soutosa, que acolhe a fundação com o seu nome, foi o espaço escolhido para o evento.

“Era lá que o mestre passava muito do seu tempo a escrever, a caçar e a olhar para as pessoas de que gostava tanto e para estes territórios”, que batizou de “Terras do Demo”, salientou o presidente da Câmara de Moimenta da Beira, José Eduardo Ferreira.

Essa estratégia já permitiu, nos últimos anos, reeditar três obras do escritor: “Cinco Reis de Gente” (Sernancelhe), “Malhadinhas” (Vila Nova de Paiva) e “O Homem da Nave” (Moimenta da Beira).

“É sintomático que o livro ‘Terras do Demo’ seja reeditado em conjunto pelos três municípios e pela fundação, porque ele corresponde a uma identidade própria deste território. Aproveitar esta oportunidade para reafirmar os valores do mestre Aquilino é uma forma de olhar para a frente, apesar de estar a ser reeditada uma obra com cem anos”, referiu José Eduardo Ferreira autarca de Moimenta de Beira.

O presidente da Câmara de Sernancelhe, Carlos Silva Santiago, considerou que a reedição deste livro não só “reafirma a vitalidade de um escritor como Aquilino Ribeiro no mundo literário”, mas também que estes territórios “têm um potencial muito forte” para continuarem o seu desenvolvimento.

Até 14 de junho, estão previstas várias iniciativas que envolvem estes municípios, a família do escritor, a Biblioteca Nacional, o Museu Bordalo Pinheiro, a Junta de Freguesia de Alvalade, o Mercado de Alvalade, a Universidade de Aveiro, a Companhia de Teatro Filandorra e os CTT.

A 16 de maio, a reedição da obra “Terras do Demo” será apresentada na Biblioteca Nacional, em Lisboa. No mesmo dia, decorrerá ainda o colóquio “Aquilino, os anos 20: entre o exílio e as geografias de Lisboa” e será inaugurada uma exposição bibliográfica sobre a mesma temática.

No dia seguinte, no Museu Bordalo Pinheiro, decorrerá a inauguração da exposição de ilustrações de Benjamin Rabier para a obra “Romance da Raposa”, seguida do momento “3ACTOS”, que conjuga literatura, música e desenho em palco.

Em Alvalade, no dia 18, será descerrada uma lápide de homenagem ao escritor, no edifício em que viveu. Simultaneamente, no mercado desta freguesia, os três municípios do distrito de Viseu vão mostrar produtos das “Terras do Demo”, como a maçã, o espumante, a castanha, os fumeiros e a sua cultura.

O programa inclui outros momentos culturais, o último dos quais a inauguração da exposição da obra completa do escritor, intitulada “Aquilino no Campus de Santiago”, na Biblioteca da Universidade de Aveiro.

 

Pode ver também

Covid-19. Portugal com mais 28 mortes e 3.299 casos em 24 horas

boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde divulgado esta terça-feira revela que, nas últimas 24 horas, foram registados …

Comente este artigo