Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Trabalhadores do Centro de Apoio a Deficientes de Santo Estevão de Viseu em greve

Trabalhadores do Centro de Apoio a Deficientes de Santo Estevão de Viseu em greve

Os trabalhadores da União das Misericórdias Portuguesas vão estar de greve na quinta-feira, reivindicando o aumento de salários, a compensação pelo trabalho prestado nos feriados e dias festivos, divulgou hoje o sindicato do setor.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) na União das Misericórdias Portuguesas (UMP) os salários praticados para os trabalhadores do apoio (ajudantes de lar, auxiliares de ação médica, cozinha, limpeza, lavandaria) são 600 euros por força do aumento do salário mínimo nacional, apesar de muitos deles terem vários anos de serviço.

“Estes trabalhadores desempenham diariamente com zelo a sua tarefa de cuidado aos utentes. Têm 5, 10, 15, 20, 25 anos de trabalho na instituição e recebem 600 euros porque a isso a instituição é obrigada por força do aumento do Salário Mínimo Nacional”, refere o CESP, observando que a UMP, financiada pelo Estado para prestar estes serviços aos utentes “recusa-se a negociar o aumento dos salários, que não são revistos há muitos anos, pese embora os protocolos de cooperação com o Governo terem sido revistos nos últimos anos”.

Segundo o sindicato, os trabalhadores da UMP exigem ainda ser devidamente compensados pelo trabalho que prestam nos feriados, pois estão obrigados a trabalhar nos feriados e dias festivos e, por cada dois feriados trabalhados ficam com o direito a descansar um dia, ou recebem o valor correspondente a meio dia de trabalho.

“Estes trabalhadores não são devidamente compensados pelas horas de trabalho que prestam a mais nos dias feriados nem são devidamente compensados pelas horas de descanso e em família que não tiveram. É uma injustiça que urge resolver. Estes trabalhadores exigem receber em dobro as horas de trabalho que prestam em dia feriado”, sublinha o sindicato.

O CESP denuncia ainda que no centro de Santo Estevão em Viseu a situação é ainda “mais grave” com o não pagamento do subsídio de alimentação que era pago até há cinco anos, altura em que, alega, foi retirado unilateralmente pela instituição.

O sindicato anuncia que os trabalhadores do Centro de Apoio a Deficientes de Santo Estevão, em Viseu, vão realizar um piquete de greve e uma concentração frente à instituição entre as 8:00 e as 11:00.

 

Pode ver também

Festival de cinema Vista Curta de Viseu alarga o olhar sobre a África lusófona

O festival de cinema VistaCurta, organizado pelo Cine Clube de Viseu, propõe um “olhar especial” …

Comente este artigo