Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Teatro Onomatopeia de Viseu apresenta “peripécias da viagem” de Fernão de Magalhães

Teatro Onomatopeia de Viseu apresenta “peripécias da viagem” de Fernão de Magalhães

O Teatro Onomatopeia da Zunzum Associação Cultural, em Viseu, estreia sexta-feira ‘De volta sem Magalhães’, uma peça que conta as peripécias da viagem, há 500 anos, de circum-navegação de Fernão Magalhães, segundo um dos responsáveis.

É uma peça que, em parte, comemora os 500 anos da viagem de Fernão Magalhães à volta do mundo, e que fala sobre a crónica de António Pigafetta, o cronista da viagem, e, em parte, vamos dar a conhecer ao público as peripécias que aconteceram durante esta revigorante viagem”, adiantou o ator Roger Bento.

Em jeito de sinopse, Roger Bento adiantou que, em cima do palco, vive-se o “ano de 1522, e o cavalheiro italiano António Pigafetta, cronista, cartógrafo e aventureiro, visita a corte do rei João III de Portugal”.

“Uma visita realizada com a licença do imperador Carlos I de Espanha e V de Alemanha, para dar testemunha da primeira circum-navegação do globo terrestre. Pigafetta, como um dos 18 homens que conseguiram retornar à Europa, visa também defender, perante os seus conterrâneos, a controvertida figura de Fernão de Magalhães”, contou.

Nesta ida à corte do rei João III, continuou, António Pigafetta faz-se acompanhar por dois marujos, também sobreviventes da viagem, o português Francisco Rodríguez e o galego Vasco Gómes.

“Embora os seus pontos de vista sobre a gesta heroica nem sempre coincidam, os três fazem questão de relatar ao rei de Portugal a extraordinária viagem e esclarecer o destino trágico do homem que a fez possível”, acrescentou o também presidente da ZunZum Associação Cultural.

Roger Bento, um dos atores em palco, explicou ainda à agência Lusa que a ideia desta peça surgiu com as comemorações dos 500 anos da viagem, que teve início em 20 de setembro de 1519 e demorou 1.125 dias.

“Pela efeméride e também por ter sido um português a comandar as naus que fizeram parte desta viagem, embora não tenha chegado ao fim, por ter sido assassinado, e a direção da ZunZum convidou Carlos Santiago, o nosso encenador galego, para a levar à cena”, explicou.

Com Roger Bento estão também Isabel Legoinha e Márcia Leite no palco do auditório do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) na noite de sexta-feira, dia da estreia, a repetir no sábado e na tarde de domingo.

Com texto e encenação de Carlos Santiago, Roger Bento contou que “tal como a viagem de Fernão Magalhães também teve as suas peripécias ao longo dos três anos em que ela durou, também a estreia desta peça atravessou contratempos”.

“A peça estava pronta para se estrear em maio, mas por causa da pandemia, teve de ser adiada. Parámos todos os trabalhos e retomámos agora, junto ao final do ano, porque ainda a queríamos estrear em 2020, para estar dentro das comemorações dos 500 anos” da viagem de Fernão Magalhães.

Depois da estreia em Viseu, este responsável admitiu que “gostava que a peça fosse em itinerância, ao longo do ano de 2021”, uma “espécie de viagem, por onde seja possível”, do Teatro Onomatopeia.

A primeira viagem à volta do mundo, a bordo da nau Victoria, começou em 20 de setembro de 1519, em Sanlúcar de Barrameda, no sul de Espanha, e terminou em 06 de setembro de 1522, no mesmo local.

Fernão de Magalhães, que planeou a viagem que foi financiada pelo reino de Espanha, não terminou a expedição, uma vez que morreu nas Filipinas, em 1521, aos 41 anos, tendo esta sido concluída por João Sebastião Elcano.

 

Pode ver também

Iluminação de Natal em Oliveira de Frades

Oliveira de Frades ganhou um brilho especial com a iluminação de Natal preparada pelos colaboradores …

Comente este artigo