Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Serial killer de Santa Comba Dão tem primeira saída precária

Serial killer de Santa Comba Dão tem primeira saída precária

Cabo António Luís Costa, condenado à pena máxima pelos homicídios de três raparigas, teve esta segunda-feira a primeira saída precária. Vai ficar três dias numa casa de recolhimento em Évora.

Com 68 anos, o cabo Costa, que tem cumprido a pena de prisão no Estabelecimento Prisional de Évora, vai ficar numa casa de recolhimento na mesma zona, longe de Santa Comba Dão, a cidade onde, entre 2005 e 2006, o militar assassinou três jovens que conhecia desde crianças.

As raparigas tinham 17 e 18 anos.

Isabel Isidoro foi a primeira vítima. Desapareceu a 24 de maio de 2005, o corpo foi encontrado uma semana depois na praia da Figueira da Foz, mas só foi identificado um ano mais tarde.

A família não tinha apresentado queixa porque achava que a jovem tinha partido para o estrangeiro.

Mariana Lourenço desapareceu em outubro de 2005. Foram precisos oito meses para encontrar o cadáver no rio Mondego, na zona de Penacova. O corpo foi localizado em dois momentos diferentes, porque estava desmembrado.

Joana Oliveira desapareceu em maio de 2006 e foi encontrada um mês depois na barragem da Aguieira.

Os crimes tiveram motivações sexuais. As vítimas foram estranguladas e os corpos deitados à água em sacos de plástico depois de transportados no carro do militar.

O homicida chegou a participar nas buscas e a dar apoio aos familiares das vítimas.

Acabou detido em 2006 e um ano depois foi condenado à pena máxima, 25 anos de prisão.

 

Pode ver também

Viseu tem 13 turmas em isolamento e aumento de casos de Covid-19 “é preocupante”

O concelho de Viseu tem 13 turmas com pessoas infetadas com SARS-CoV-2, que provoca Covid-19, …

Comente este artigo