Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Presidente de Penalva do Castelo acredita que não haverá exploração de lítio no concelho
Francisco Carvalho presidente da CM de Penalva do Castelo

Presidente de Penalva do Castelo acredita que não haverá exploração de lítio no concelho

O presidente da Câmara de Penalva do Castelo, Francisco Carvalho (PS), mostrou-se hoje convicto de que não haverá exploração de lítio no seu concelho, apesar de ter duas zonas sinalizadas.

A Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) viabilizou a pesquisa e prospeção daquele mineral em seis áreas, duas das quais abrangem o concelho de Penalva do Castelo, nomeadamente “GUARDA-MANGUALDE W” (que inclui também Mangualde, Gouveia, Seia, Fornos de Algodres e Celorico da Beira) e “GUARDA-MANGUALDE NW” (que inclui também Viseu, Sátão, Mangualde, Seia e Nelas).

“Não é motivo de preocupação para o concelho de Penalva do Castelo”, disse Francisco Carvalho à agência Lusa.

Segundo o autarca, uma das zonas “é junto à Barragem de Fagilde, que está protegida por natureza”.

“Não acredito que vão lá explorar lítio, porque é junto a uma linha de água que abastece Viseu, Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo e Sátão”, justificou.

A outra zona referenciada, acrescentou, “é uma exploração mineira na freguesia de Real, na qual já estão a explorar o feldspato”.

“Já está devidamente licenciada, eu não posso fazer nada. Eles exploram lá o minério que houver”, afirmou Francisco Carvalho.

Na quarta-feira, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC) divulgou que a AAE em oito áreas com potencial de existência de lítio concluiu pela exclusão de Arga e Segura, e viabilizou a pesquisa e prospeção daquele mineral em seis zonas.

O MAAC adiantou que o concurso público para a atribuição de direitos de prospeção e de pesquisa de lítio “poderá avançar nos próximos 60 dias”.

Após o procedimento concursal e a prospeção (a decorrer num prazo máximo de cinco anos), poderá iniciar-se a exploração de lítio, com cada um dos projetos a ser sujeito a Avaliação de Impacto Ambiental.

 

Pode ver também

Académico de Viseu de luto pela morte do presidente, António Albino

António Albino, empresário viseense e que durante mais de uma década foi presidente do Académico de …

Comente este artigo