Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Moimenta da Beira oferece cheques prenda e ‘vouchers’ por cada nascimento
baby looking at camera under a white blanket

Moimenta da Beira oferece cheques prenda e ‘vouchers’ por cada nascimento

A Câmara Municipal de Moimenta da Beira anunciou hoje um novo regulamento de apoio à natalidade e à adoção, que passa pela oferta de cheques prenda e ‘vouchers’ para uso no comércio e serviços do concelho.

“Cheques prenda no valor de 1.500 euros por cada nascimento ou adoção e ainda ‘vouchers’ de 2.500 euros de reembolso para despesas efetuadas no concelho com aquisição de bens e/ou serviços considerados indispensáveis ao desenvolvimento da criança”, anunciou o executivo liderado por Paulo Figueiredo.

De entre os bens e serviços considerados indispensáveis estão a frequência de creche, consultas médicas, medicação, artigos de higiene, puericultura, alimentação, vestuário e calçado.

Estas medidas “são os novos apoios à natalidade e à adoção” aprovadas pelo executivo e que fazem parte de “uma nova política social de incentivo ao crescimento e à dinâmica demográfica”.

O intuito, esclareceu o presidente da Câmara, é o de “fomentar a natalidade e a qualidade de vida dos munícipes” e também o de “fixar pessoas e mais famílias no concelho de Moimenta da Beira”, distrito de Viseu.

Paulo Figueiredo anunciou estas medidas numa palestra sobre “Amamentação, uma responsabilidade de todos”, inserida na semana mundial do aleitamento materno, que contou com a presença de “muitas mães e futuras mamãs” e profissionais de saúde.

“É o contributo que o município quer dar e para nós é também um investimento apostar nas pessoas. Elas são, efetivamente, o maior ativo da nossa sociedade, e são elas, de facto, que irão proporcionar vida futura”, defendeu Paulo Figueiredo.

O líder do executivo socialista mostrou-se “muito preocupado com a diminuição de nascimentos entre os anos 1995 a 2021”, já que “em 2021 nasceram no concelho 68 crianças, numa população de 10.000 pessoas”.

Ou seja, “em permilagem dá 6,8, metade da registada em 1995, cujo valor andava nos 12 a 13”, o que significa “um decréscimo enormíssimo” nestes 26 anos e que se traduz numa “sociedade cada vez mais envelhecida e com cada vez menos nascimentos”.

“Todos nós sabemos o que já está investido no concelho, seja ao nível da saúde, seja ao nível da educação, seja a outros níveis. As nossas escolas precisam de mais alunos, a nossa sociedade precisa de mais gente e nós podemos ter mais nascimentos, mais crianças porque elas são efetivamente a base da nossa alegria”, defendeu.

 

Pode ver também

Natal: Comboio Turístico circula pelas ruas da Cidade-Jardim

Com 6 viagens diárias e ponto de partida na Praça da República (Rossio), o comboio …

Comente este artigo