Home / Notícias / Jornadas parlamentares do BE em Viseu sob o lema “um país para viver”

Jornadas parlamentares do BE em Viseu sob o lema “um país para viver”

Quatro anos depois, o BE volta a promover umas jornadas parlamentares, que arrancam hoje em Aveiro e chegam a Viseu na terça-feira, focando-se nos serviços públicos, habitação e qualidade da democracia sob o lema “um país para viver”.

Em antecipação aos jornalistas, o líder parlamentar do BE, Pedro Filipe Soares, antecipou o programa destas jornadas parlamentares que se vão dividir pelos distritos de Aveiro e Viseu.

As anteriores do partido liderado por Catarina Martins foram precisamente no distrito de Aveiro em fevereiro de 2019, ou seja, há quatro anos.

“Debaixo deste lema, ‘um país para viver’, teremos quer as matérias de serviços públicos quer as matérias relacionadas com a habitação quer as matérias sobre a qualidade da democracia que queremos levar a debate nestas jornadas parlamentares”, explicou o líder parlamentar bloquista.

Sobre os serviços públicos, o foco do BE será na saúde e na educação, esta última para valorizar “as lutas que estão a existir para uma escola pública melhor”, também na “salvaguarda de direitos laborais”, acrescentou Pedro Filipe Soares.

Precisamente na terça-feira de manhã, o BE leva as jornadas ao distrito de Viseu, que coincide com a greve dos professores naquele distrito.

“Teremos em todos os momentos a presença também de muitas pessoas com quem queremos contactar porque é para isso que servem umas jornadas parlamentares: irmos ao terreno, perceber como é que está o Estado e o Governo a responder às necessidades das populações e apresentar também as nossas soluções para isso”, referiu.

Em relação ao distrito de Aveiro, mais concretamente o concelho de Espinho, o líder parlamentar do BE disse que “tem ficado nas notícias públicas pelos piores motivos nas últimas semanas com o escândalo sobre a gestão da Câmara Municipal de Espinho”.

“É também para responder às questões da ética na democracia, na responsabilidade sobre os eleitos que têm que ter em relação aos seus mandatos, que nós também começamos hoje em Espinho, num contacto com a população, mas onde apresentaremos também iniciativas legislativas sobre a matéria”, adiantou, um momento que contará com a presença e declarações de Catarina Martins.

Fruto do resultado da governação, segundo Pedro Filipe Soares, há diversas visitas destas jornadas que “estão associadas a setores em luta, quer na área da educação, quer na área da saúde, quer na área da justiça”.

“Isto mostra muito do descontentamento que existe no país com a governação e que muitos dos profissionais que constroem o Estado, o Estado Social, também têm com o seu patrão, que é o Estado, que é o Governo, que gere essas políticas”, enfatizou.

Depois dos maus resultados das legislativas antecipadas de há um ano, o BE perdeu, entre outros, os dois deputados que tinha conseguido eleger por Aveiro.

“Não estamos com a cabeça pensada em eleições legislativas. Pelo calendário normal só em 2026 é que elas acontecerão e por isso não é com um objetivo eleitoral que nós fazemos estas jornadas parlamentares. Mas Aveiro e Viseu têm muitos dos problemas que nós debatemos aqui na Assembleia da República”, respondeu aos jornalistas quando questionado sobre a escolha do distrito.

De acordo com o programa disponibilizado, haverá ainda na tarde de hoje uma iniciativa em Ovar sobre a defesa do SNS, na qual estará todo o grupo parlamentar e haverá, novamente, declarações da coordenadora do partido, Catarina Martins.

Ao longo do dia, haverá outras visitas, uma em São João da Madeira sobre matérias de direitos laborais e outra em Santa Maria da Feira relativa à necessidade do reforço dos meios judiciais.

Depois de a manhã de terça ser em Viseu, à tarde a comitiva regressa a Aveiro para o encerramento das jornadas que estará a cargo precisamente de Pedro Filipe Soares.

Lusa

 

Pode ver também

Vila Nova de Paiva: Município entregou 14 incentivos à natalidade

O Município de Vila Nova de Paiva continua a apoiar as famílias “Paivenses”, ao abrigo …

Comente este artigo