Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Entulho das obras da Ponte de São João de Areias continua depositado na margem do Rio Mondego
Fotografia Bloco de Esquerda de Viseu

Entulho das obras da Ponte de São João de Areias continua depositado na margem do Rio Mondego

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda, denúncia, que o entulho resultante da obra da Infraestruturas de Portugal, S.A. (IP) de requalificação da Ponte São João de Areias, concelho de Santa Comba Dão, sobre o rio Mondego, localizada na EN 234-6 que une os concelhos de Santa Comba Dão (distrito de Viseu) e o concelho de Tábua (distrito de Coimbra), encontra-se ao abandono junto ao rio. A obra da construtora Extraco terminou em dezembro de 2017.

Esta obra estava incluída, junto com mais duas pontes sobre o rio Criz, no reforço das condições de segurança e de circulação na rede viária sobre a albufeira da Aguieira, num investimento total de 7 milhões de euros. No caso da ponte de S. João das Areias, sobre o rio Mondego e com uma extensão de 260 metros, sofreu um “reforço das fundações com estacas nos pilares localizados no interior da albufeira” e ‘encamisamento’ “até ao nível de máxima cheia e preenchimento do interior com betão”, além da “reabilitação geral até à cota de topo de todos os pilares e proteção geral da face exterior dos pilares”, explicou à altura a IP.

A denúncia parte da Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda diz que a “enorme plataforma de madeira que foi utilizada para a requalificação da ponte de São João de Areias continua no local, próximo à ponte” e que este local “é abrangido pelo Plano de Ordenamento da Albufeira da Aguieira (POAA)” e corresponde a uma “zona protegida”.

Segundo o Bloco, o POAA “incide sobre o plano de água e respetiva zona de proteção, com uma largura de 500 m, medida na horizontal, a contar do nível de pleno armazenamento (cota 124,7 m), encontrando-se a totalidade da área integrada nos municípios de Carregal do Sal, de Mortágua, de Penacova, de Santa Comba Dão, de Tábua e de Tondela” e o local exato onde se encontra o entulho da obra “está enquadrado no «Plano de água», ou seja, em toda a área passível de ser ocupada pela albufeira, portanto a área do leito ou regolfo da albufeira correspondente ao Nível Pleno de Armazenamento (NPA)”.

O Bloco de Esquerda diz ainda ser “urgente remover a enorme plataforma de madeira, tal como o entulho proveniente” e acha imprescindível “apurar responsabilidades e atuar nos termos da lei”, tendo para isso dado conta da situação “ao SEPNA de Santa Comba Dão e à IP”.

 

Pode ver também

Incêndio numa habitação em Moimenta da Beira desaloja casal

Um casal septuagenário ficou esta sexta-feira desalojado em Carapito, concelho de Moimenta da Beira, após …

Comente este artigo