Home / Notícias / Distrital de Viseu do PSD lamenta que António Costa faça festa num distrito que esqueceu
Carlos Silva, presidente da Distrital do PSD Viseu

Distrital de Viseu do PSD lamenta que António Costa faça festa num distrito que esqueceu

A distrital de Viseu do PSD lamentou hoje que o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, faça no sábado “a festa de um ano de mandato” na capital de um distrito que “durante oito anos esqueceu, de forma deliberada”.

Em comunicado, o presidente da estrutura partidária, Carlos Silva, referiu que o primeiro-ministro “tudo fez, e continua a fazer, para que a Viseu não cheguem as obras e os investimentos estruturantes ao seu desenvolvimento”.

António Costa estará no sábado à tarde em Viseu, a participar na iniciativa “Lado a lado com os portugueses. Prestar contas”.

“São oito anos de Governo socialista sem uma obra para apresentar em Viseu e em todo o distrito”, criticou.

Entre as obras que Carlos Silva considerou que o Governo ignorou durante este período estão a conclusão da requalificação do Itinerário Principal (IP) 3, o centro oncológico, a unidade de psiquiatria, a execução do Itinerário Complementar 26, a construção da nova Barragem de Fagilde, a ferrovia e investimentos nos regadios.

“Imaginemos o que seria uma câmara ou uma junta de freguesia se, em oito anos, não tivesse concretizado nada para o seu povo. Teriam, com toda a certeza, de prestar contas”, referiu.

Segundo o também autarca de Sernancelhe, “certamente que não teriam o desplante de festejar o aniversário de mandato num território que desprezaram e quiseram riscar do mapa de Portugal”.

“Também António Costa, e o Governo PS, devia prestar contas pelas promessas que fez e não cumpriu. Prestar contas pelas vezes que iludiu e manipulou as crenças dos cidadãos”, realçou o presidente da distrital do PSD.

No seu entender, é lamentável que os investimentos que deviam ser feitos no distrito de Viseu sejam “encaminhados para sorvedouros como a TAP”, que custa 3,2 mil milhões euros aos portugueses.

“Esta enormidade de dinheiro dava para fazer 23 duplicações do IP3, dava para construir 123 unidades de radioterapia iguais à que o hospital de Viseu tanto necessita”, acrescentou.

Neste âmbito, o dirigente social-democrata condenou “veementemente a forma de gerir os recursos públicos do Governo PS” e lamentou que “os grandes investimentos vão para Lisboa, os apoios comunitários do PRR e o Portugal 2030 vão para Lisboa”.

Ao interior, “o primeiro-ministro destina apenas a propaganda e mais promessas”, sublinhou, questionando se sábado António Costa se deslocará a Viseu para “novamente prometer alguma obra”.

“Viseu já está cansado de promessas e de placas a inaugurar obras que nunca se concretizam. Viseu já não acredita em ações de marketing socialista criadas para mascarar a incompetência e a incapacidade de governar Portugal”.

Lusa

 

Pode ver também

CENTRO HISTÓRICO DE SERNANCELHE RECEBE, DE 11 A 13 DE JULHO, O SER+CULTURA

Sernancelhe organiza, de 11 a 13 de julho, a edição de 2024 do festival de …

Comente este artigo