Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Câmara de Viseu critica saída de diretora do Teatro Viriato

Câmara de Viseu critica saída de diretora do Teatro Viriato

Centro de Artes do Espetáculo de Viseu (CAEV), entidade responsável pela gestão e programação do Teatro Viriato, anunciou ontem que a artista e escritora Patrícia Portela vai substituir Paula Garcia, “que deixa o seu lugar para abraçar um novo desafio profissional”.

Em comunicado, o município diz-se surpreendido com este anúncio e lembra que é o proprietário do teatro e o principal financiador da sua atividade.

Por isso, considera que estas decisões, “destituídas de uma auscultação e articulação prévias com aquele que é o proprietário do equipamento e principal parceiro do projeto”, são “um profundo desrespeito institucional e uma quebra dos mais elementares princípios éticos da confiança e parceria”.

“A autonomia artística do CAEV na programação do teatro municipal nunca foi posta em causa. Existem, porém, decisões estratégicas relativas à orientação e desenvolvimento do projeto cultural que é o Teatro Viriato que exigem concertação e diálogo”, sublinha.

A autarquia estranha ainda que “a atual diretora não tenha concluído o seu mandato até ao fim, nos termos do projeto candidatado a financiamento do Ministério da Cultura”.

No seu entender, “decisões unilaterais como estas ferem as condições de relacionamento institucional de futuro e representam um voltar de costas à comunidade local”.

A Câmara recorda que, além da cedência do teatro e da sua manutenção corrente, assegura anualmente, até 2021, um financiamento de 380 mil euros, destinado à programação e ao funcionamento daquela estrutura.

Segundo o CAEV, Patrícia Portela irá fixar-se em Viseu a partir de 01 de março.

“Profunda conhecedora do Teatro Viriato e uma das artistas que tem marcado presença assídua na sua programação, Patrícia Portela é reconhecida nacional e internacionalmente pela singularidade da sua obra, tendo recebido por ela vários prémios”, sublinha.

Enquanto autora do projeto artístico em vigência (financiado pela Direção Geral das Artes e pela Câmara de Viseu), Paula Garcia irá manter-se como presidente da direção do CAEV.

 

Pode ver também

Câmara de Sátão propõe taxa mínima do IMI para 2021

A Câmara de Sátão vai propor ao órgão Assembleia Municipal a proposta do Imposto Municipal …

Comente este artigo