Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Autárquicas: “Aprendo imenso” com as pessoas das freguesias de Viseu – Diogo Chiquelho
Diogo Chiquelho candidato do PAN à CM de Viseu

Autárquicas: “Aprendo imenso” com as pessoas das freguesias de Viseu – Diogo Chiquelho

O cabeça de lista do PAN (Pessoas-Animais-Natureza) à Câmara de Viseu disse, entre as arruadas que realizou pelo concelho, que aprende “imenso” sobre a história das freguesias com as pessoas com quem conversa.

“Aprendo imenso com a conversa que tenho com as pessoas, que me explicam alguma da história da freguesia. Fico pasmado quando percebo que Viseu não está a ir no sentido de aproveitar a riqueza cultural que tem historicamente”, sublinhou Diogo Chiquelho.

O candidato quer dar “um impulso” às freguesias, pelo que começou as suas ações de campanha por alguns destes territórios.

“Achamos que a riqueza da nossa cidade ao nível cultural, pessoal, social e até ao nível económico reside muito aí [freguesias]. É verdade que Viseu cresceu, mas as freguesias, e isso é o Censos que diz não sou eu, diminuíram, portanto há que fazer esse trabalho”, salientou.

Para Diogo Chiquelho, é necessário “levar o turismo” para as freguesias e “fomentar o turismo rural”.

“Isto está a perder-se e as populações precisam disto. Não há o melhor aproveitamento da potencialidade das nossas freguesias pela sua beleza, pela riqueza das suas gentes”, constatou o candidato.

Diogo Chiquelho considerou que “houve um desenvolvimento cultural mais centralizado na cidade e não tanto localizado”, o que o PAN entende que “é essencial ser feito”.

“Há que levar a cultura do centro da cidade para as freguesias, mas há que também trazer as freguesias e as suas gentes para o centro da cidade e mostrar a verdadeira imagem de Viseu, que está nas freguesias. É parte do mundo rural, o mundo do folclore. Toda essa questão cultural é onde reside a riqueza de Viseu”, afirmou.

Segundo o cabeça de lista do PAN, é “essencial” “ir até lá, mas também trazer essa gente até cá”.

“Esse duplo movimento, que é um duplo sentido, o ida e a volta, é um trabalho que tem de ser feito”, referiu.

Diogo Chiquelho revelou que a principal reclamação que tem ouvido durante o contacto com a população é “sem dúvida nenhuma o esquecimento, designadamente do poder local, e não digo das juntas de freguesia, porque essas tentam fazer o seu trabalho, mas sim câmara municipal”.

Um dos problemas apontados é a “carência” no âmbito da mobilidade. “A reforma como temos vindo a ver ao longo desta campanha da antiga STUV [Serviço de Transportes Urbanos de Viseu] para o MUV [Mobilidade Urbana de Viseu] era mais do que essencial, eu próprio conhecia, porque sou um utente dos transportes coletivos de Viseu, mas sei que não foi muito bem feito”.

 

Pode ver também

Académico de Viseu derrotado em casa frente ao Moreirense

O Moreirense venceu hoje em casa do Académico de Viseu, por 3-1, conquistando a segunda …

Comente este artigo