Home / Notícias / A Estupidez Humana Como Mote de Reflexão no Arranque da Nova Temporada do Teatro Viriato

A Estupidez Humana Como Mote de Reflexão no Arranque da Nova Temporada do Teatro Viriato

O ator e encenador João de Brito, o músico Noiserv e o ilustrador Vítor Ferreira abrem a nova temporada do Teatro Viriato, no dia 16 de Setembro com a peça de Teatro “As
Leis Fundamentais da Estupidez Humana”. Uma criação que propõe uma reflexão sobre os nossos tempos e sobre o maior dos nossos inimigos: a estupidez.

O ensaio “As Leis da Estupidez Humana” foi escrito por Carlo Cipolla em 1973. Neste texto, o historiador económico analisa o comportamento humano, de forma bastante cómica, tendo em conta as nossas ações e as consequências destas nos outros. Para Cipolla, o grande perigo da humanidade é a estupidez e os estúpidos, pessoas que conseguem prejudicar-se a si próprias e aos outros e que, infelizmente, proliferam em todos os quadrantes da sociedade.

50 anos depois, João de Brito, traz à cena este texto filosófico e político, colocando a ação num talho. “A obra literária “As Leis Fundamentais da Estupidez Humana” de Carlo M. Cipolla, foi-me recomendada por um amigo há cerca de 2 anos e oferecido pelo mesmo amigo há cerca de 1 ano, referindo que era um miminho e que devia fazer um solo com estas palavras. Assim que o li, surgiu a vontade de o levar à cena. É um ensaio filosófico hilariante, mas de uma seriedade atroz, sobre os estúpidos que dominam o Mundo em que vivemos”, explica João de Brito no texto de apresentação da peça. O ator e encenador acredita que a “grande maioria das pessoas vai sentir-se atingida ou injustiçada por este texto graças ao carácter abrangente e primoroso com que é exposto”.

Nesta adaptação, João de Brito faz-se acompanhar de Miguel Graça na adaptação de texto, de Noiserv na Música e no desenho por Vítor Ferreira. “Embora o espetáculo seja assente nas palavras em forma de monólogo, ele sugere uma plasticidade e grafismo que ajuda a expor os exemplos, por isso achei pertinente ter um ilustrador ao vivo a acompanhar e a complementar as palavras. Para completar o triângulo deste monólogo a três, se é que se pode dizer assim, teremos um músico ao vivo, um homem orquestra, que oscilará entre a sonoplastia e temas originais”, refere.

O espetáculo sobe ao palco do Teatro Viriato no dia 16 de setembro, às 21h00 e os bilhetes estão já em venda antecipada no site do Teatro Viriato e na BOL. De referir que o espetáculo terá sessão acessível com recurso a Língua Gestual Portuguesa e Audiodescrição.

 

Pode ver também

Lamego acolhe workshop sobre segurança contra incêndios

Uma plateia atenta encheu por completo o auditório do Centro Multiusos de Lamego para assistir …

Comente este artigo