Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Viseu na lista de novos alojamentos para estudantes do ensino superior

Viseu na lista de novos alojamentos para estudantes do ensino superior

O Governo anunciou a reabilitação de 12 imóveis no âmbito do Plano Nacional de Alojamento para o Ensino Superior (PNAES), o que resultará em 2.000 novas camas até 2021, num investimento estimado em 15 milhões de euros.

Os imóveis a reabilitar localizam-se nas regiões de Aveiro, Coimbra, Covilhã, Évora, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Vila Real e Viseu, informou o gabinete da secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em comunicado, indicando que as intervenções vão ser realizadas através de protocolos entre as instituições de ensino superior e a Fundiestamo, entidade que gere o Fundo Nacional para a Reabilitação do Edificado (FNRE).

“Serão assinados brevemente os primeiros protocolos”, avançou o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, revelando que o impacto da reabilitação de 12 imóveis encontra-se “estimado no acréscimo de 2.000 novas camas (700 em 2019, 900 em 2020 e 400 em 2021), com um investimento estimado em 15 milhões de euros, a assumir pela Fundiestamo através da constituição de subfundos”.

As intervenções estão a ser promovidas numa “ação concertada” entre a secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e secretaria de Estado da Habitação, priorizando a “reabilitação de edificado existente, não comprometendo a sustentabilidade financeira das instituições de ensino superior, valorizando o património local e procurando impactos positivos em termos de coesão social e territorial, tendo por base as necessidades dos estudantes das instituições do ensino superior público e respeitando a sua distribuição por todo o território nacional”.

De acordo com o levantamento realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, existe uma reduzida oferta de camas para os estudantes deslocados no ensino superior público, ainda que nem todos os estudantes deslocados tenham efetiva necessidade de residência, verificando-se que há “42,3% de estudantes deslocados no ensino superior público (113.813 estudantes)” e “13% de camas por deslocados no ensino superior público (15.370 camas)”.

Em comunicado, o gabinete da secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior lembrou, ainda, a proposta de lei do Governo para criar o Programa de Arrendamento Acessível, enquadrado na Nova Geração de Políticas de Habitação, que pretende estimular a acessibilidade no arrendamento para alojamento estudantil.

 

Pode ver também

A 24 com painéis de alerta para os “perigos e falhas”

A Câmara de Vila Real vai colocar painéis nas entradas da A24 para alertar os …

Comente este artigo