Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Verdes insistem na denúncia de esgotos a céu aberto em Nelas

Verdes insistem na denúncia de esgotos a céu aberto em Nelas

Em outubro de 2016 o Partido Ecologista Os Verdes esteve na freguesia de Lapa do Lobo, no concelho de Nelas, e constatou que as águas residuais da rede de saneamento após rececionadas em duas fossas séticas eram rejeitadas a céu aberto, quer num terreno inculto, quer junto a um caminho florestal.

Perante tal situação Os Verdes questionaram o Governo tendo o Ministério do Ambiente respondido que após visita técnica, confirmou a respetiva rejeição de efluentes domésticos para o solo, tendo sido levantado um auto de notícia ao município de Nelas,

O governo referiu ainda que este município apresentou uma candidatura para a construção de uma nova ETAR e a desativação das fossas existentes na zona sul da freguesia.

Em agosto de 2017, a escassos dias das eleições autárquicas, foi iniciada a obra de construção da nova ETAR, no valor superior a trezentos mil euros num espaço a escassos metros das fossas existentes (junto ao cemitério local), tendo a obra como data de conclusão 12 meses.

Recentemente, Os Verdes estiveram no local, tendo verificado que a obra está parada e os efluentes estão a ser encaminhados para uma vala a céu aberto, sem o mínimo de segurança, onde irá ficar a nova infraestrutura, sendo posteriormente rejeitados no mesmo local, num terreno inculto.

Embora a Agencia Portuguesa do Ambiente tenha, em novembro de 2016, notificado a Câmara de Nelas para a implementação de medidas de melhoria do sistema de tratamento existente até que a nova ETAR entre em funcionamento, de forma a minimizar os impactos nos recursos hídricos, a verdade é que a situação, conforme Os Verdes presenciaram, encontra-se num ponto pior do que o encontrado em 2016 pondo em causa a biodiversidade e a saúde pública.

Perante a situação, os verdes questionaram o Ministério do Ambiente.

 

Pode ver também

Viseu: Jovem que ateou nove incêndios vê pena reduzida para 7 anos

O Supremo Tribunal de Justiça reduziu de dez para sete anos de prisão a pena …

Comente este artigo