Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Santa Comba Dão: Cabos e postes de telecomunicações após incêndios revoltam população
Fotografia cedida à Alive Fm pela Associação Unidos por Treixedo e Nagozela

Santa Comba Dão: Cabos e postes de telecomunicações após incêndios revoltam população

As populações de Treixedo e Nagozela no concelho de Santa Comba Dão, estão revoltadas com a empresa de telecomunicação MEO/ ALTICE.

Após 10 meses dos incêndios de outubro do ano passado na região, há quilómetros de cabo e postes ardidos que continuam espalhados no chão.

Preocupados com a situação a Associação Unidos por Treixedo e Nagozela, apresentou uma reclamação junto da empresa de telecomunicações, Alberto Lopes presidente da direção da Associação, diz que s cabos e os postes deviam ter sido retirados após a conclusão dos trabalhos

Na reclamação que a Alive Fm teve acesso, são mais de 15 os locais identificados pela Associação onde os cabos e os postes queimados continuam por recolher, Alberto Lopes, garante que os casos são muitos mais.

A Associação Unidos por Treixedo e Nagozela, diz que há situações em que os cabos queimados dos incêndios de outubro passado, continuam pendurados e alguns até atravessam a via pública, ponde em perigo quem por ali passa.

Os postes que suportam os cabos das telecomunicações, muitos deles, são os próprios cabos que os estão a segurar e o perigo para a população abrange as duas povoações refere Alberto Lopes.

População de Treixedo e Nagozela no concelho de santa Comba Dão esperam urgentemente que a empresa de telecomunicações MEO / ALTICE remova os cabos queimados e os postes que os suportavam, que após os incêndios de outubo do ano passado continuam espalhados pelas duas povoações, pondo em perigo os habitantes salientou a Associação que já apresentou uma reclamação junto da empresa.

Galeria de fotografias cedidas à Alive Fm pela Associação Unidos por Treixedo e Nagozela.

 

 

Pode ver também

Futebol: Jogos da 3ª eliminatória da Taça de Portugal

 

Comente este artigo