Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Regresso de comparticipação nos tratamentos termais vai impulsionar economia diz autarca de São Pedro do Sul

Regresso de comparticipação nos tratamentos termais vai impulsionar economia diz autarca de São Pedro do Sul

O presidente das Termas de Portugal considerou que hoje “é um dia histórico para o termalismo em Portugal” por o Estado repor a comparticipação nos tratamentos termais, promovendo o acesso a todos os portugueses a estes cuidados de saúde.

Na cerimónia oficial da assinatura do acordo entre o Estado e as Termas de Portugal, nas termas de São Pedro do Sul, distrito de Viseu, o dirigente elogiou o Governo, “porque não se limitou a repor a comparticipação suspensa em 2011”, inovando na comparticipação.

“Evoluiu para um regime totalmente inovador que em Portugal olhou para os balneários termais como verdadeiros prestadores de cuidados de saúde e como aliados do próprio Estado e do SNS na promoção da saúde dos portugueses”, considerou.

Assim, o Estado comparticipa em 35% um conjunto de tratamentos, tendo como limite 95 euros por utente, isto, em forma de projeto-piloto para ser avaliado no primeiro trimestre de 2020, mas que, no entender de Victor Leal, “os ganhos serão enormes e comprováveis”.

O anfitrião da cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de São Pedro do Sul, não escondeu o “regozijo pela reposição da comparticipação”, uma vez que “valoriza e reconhece a terapêutica termal como parte integrante do SNS”, atraindo desta forma “mais pessoas para o interior”.

Vítor Figueiredo lembrou que as termas de São Pedro do Sul “são consideradas as maiores da Península Ibérica e possuem uma cota de mercado nacional que ronda os 35%”.

Adiantou que “é dos concelhos da região de Lafões que apresenta o maior número de dormidas, a seguir a Viseu, e uma estadia média superior à média da região Centro e nacional”.

“As termas são muito mais do que uma estância termal, são o grande pilar do desenvolvimento económico do concelho e possuem um papel determinante no emprego local. A reposição das comparticipações irá ter um grande impacto em São Pedro do Sul”, reconheceu o autarca.

No entender de Vítor Figueiredo, não é só São Pedro do Sul que ganha, “também o termalismo a nível nacional, com reflexos imediatos no turismo e na economia nos 46 municípios com termas que se situam, em maior número, no interior do país”.

“Assim, todos os portugueses poderão ter acesso a uma riqueza natural nacional, com o apoio do SNS, que é a nossa água termal com características únicas para o tratamento e prevenção de muitas doenças, desde as reumáticas, respiratórias ou da pele, ou seja, é uma vitória de todos os portugueses”, considerou.

A cerimónia contou com a presença das secretárias de Estado da Saúde, Raquel Duarte, e do Turismo, Ana Mendes Godinho, e com outros autarcas e deputados da Assembleia da República.

 

Pode ver também

Queda de neve corta estradas no norte do distrito de Viseu

A queda de neve no norte do distrito de Viseu obrigou esta quinta-feira, 14 de …

Comente este artigo