Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Peixes mortos no Rio Dão continuam a alertar moradores

Peixes mortos no Rio Dão continuam a alertar moradores

Num troço de 900 metros do rio Dão, entre a Quinta do Morango em Fragosela e as praias do rio de Alcafache, milhares de peixes foram encontrados mortos.

Fernando Figueiredo, candidato à Câmara de Viseu pelo Bloco de Esquerda, explica que o alerta surgiu da própria população local.

O candidato lamenta que depois das autoridades terem sido alertadas e a SEPNA Viseu ter visitado o local para avaliar a situação, a morte massiva dos peixes ter sido atribuída à falta de oxigênio, sem que tivessem sido feitas recolhas. Face à actuação da autarquia viseense em apagar somente os vestígios do problema, o Bloco de esquerda seguiu com uma queixa à Agência Portuguesa do Ambiente. O partido defende que o papel do executivo municipal deve ser o da prevenção e da preocupação ambiental, não o de encobrir o acontecimento e limpar a imagem.

Fernando Figueiredo admite que a causa mais provável do problema possa estar na falta de oxigênio, contudo tem de ser alvo de uma investigação.

Freya Van Dien, gerente de Moinhos do Dão Eco Quinta e cidadã residente na área, critica que  a GNR/SEPNA não tivesse recolhido amostras da água e dos peixes mortos e afirma que os açudes foram abertos para permitir que a água e muitos dos peixes mortos escorressem rio abaixo.

O Bloco de Esquerda e a população esperam que sejam descobertas as causas da tragédia e que se actue preventivamente para evitar situações idênticas no futuro.

Peça de Maria Sousa/AliveFm.

 

Pode ver também

Sátão: Elevador da Loja de Cidadão fora de serviço

Inaugurada na passada sexta-feira, pelo presidente da Câmara de Sátão, Alexandre Vaz e pela Ministra …

Comente este artigo