Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Os pontos nos “i’s” do incêndio em S. Pedro do Sul
Fotografia de Maria Sousa, Rádio ALiveFM
Fotografia de Maria Sousa, Rádio ALiveFM

Os pontos nos “i’s” do incêndio em S. Pedro do Sul

Terminado o grande incêndio que destruiu parte do concelho de S. Pedro do Sul chegou a hora de meter os pontos nos “i’s” e responder a todas as perguntas e polémicas dos últimos dias.

O autarca de S. Pedro do Sul começou a conferência de imprensa esclarecendo que não houve nenhuma queixa formal às autoridades competentes. O que houve sim, foi uma conversa com o Primeiro Ministro sobre o que aconteceu.

O Presidente refere que não foi só o concelho que sofreu consequências. O estado também ficou prejudicado com a demora de actuação porque teve de deslocar meios aéreos desnecessários, milhares de homens e centenas de viaturas à região.

No seguimento da polémica quanto à falta de pontos de água para abastecer os meios envolvidos no combate deixou o assunto bem claro. Ao contrário do que foi afirmado o concelho tem ao alcance 48 pontos de água aéreos, 26 mistos 14 terrestres.

O autarca responde às críticas do Plano Municipal de Emergência da Protecção Civil e deixa claro que o plano foi feito mas não foi accionado nem mereceu qualquer resposta.

No que diz respeito aos estradões Vítor Figueiredo afirma que foram 127 quilómetros de abertura e limpeza de estradões.

Dirigindo-se ao “Sr. De Barbas”, O presidente garante que este ano foi aquele que mais acções de sensibilização teve. Entre 10 de Abril e 19 de Junho fizeram-se 20 acções.

Respondendo ao “mesmo senhor” no seguimento de ter afirmado que havia muito mato ao redor das casas… contabilizam-se 194 notificações. 93 inseridas em áreas florestais e 101 em zonas urbanas.

Vítor Figueiredo enumera os principais problemas que a região vai passar no futuro. Durante 6 meses os animais não terão pasto para se alimentarem. A Vitela de Lafões, uma marca da região, fica comprometida. No futuro, vão verificar-se problemas de desmoronamentos. As águas vão ficar poluídas com as cinzas na altura em que as chuvas chegarem e a indústria da madeira causará problemas quanto à empregabilidade no concelho.

Quando questionado sobre números concretos quanto ao prejuízo da região o presidente afirmou que não há condições humanas para conseguir contabilizar e portanto não se sente em condições de avançar com números.

Por agora começaram os trabalhos para levar S. Pedro do Sul à normalidade: limpeza das vias, linhas de electricidade, telefones e abastecimento de água.

Questionado pelos jornalistas sobre o problema dos comandos Vítor Figueiredo refere que isso é uma guerra de bombeiros e que a ele não lhe diz respeito.

Com um fogo importado do distrito de Aveiro, foi perguntado ao presidente se não devia ter sido accionado o Plano Distrital da Defesa da Floresta uma vez que tinha um carácter interdistrital.

Nos últimos meses fizeram-se redes primárias e secundárias para limpeza do mato. Contudo, o fogo passa sempre que não haja meios para o combater.

Sexta-feira o presidente vai reunir-se com a Cáritas para entender o que poderá ser feito para ajudar as famílias lesadas.

Vítor Figueiredo adiantou que pediu o envio de técnicos do estado para conseguirem ordenar o território para evitar problemas futuros.

O autarca pede descanso e garante que hoje foi o último dia em que se falou no grande incêndio que abalou S. Pedro do Sul.

Vítor Figueiredo lança o alerta para que situação semelhante não volte a acontecer no país.

Para concluir Vítor Figueiredo faz um agradecimento especial a todos os Bombeiros, em especial aos de S. Pedro de Sul porque foram incansáveis; aos Sapadores Florestais; à GNR; aos Escuteiros; à população; aos militares e aos Jornalistas.

Declarações de Vítor Figueiredo, Presidente de S. Pedro do Sul, numa conferência de imprensa aos jornalistas hoje pelas onze da manhã.

 

Pode ver também

IMG_0553_1_980_2500

Piscina Municipal de Moimenta da Beira reabre hoje ao público

Depois de obras de requalificação do tanque central para a garantia da higiene e de …

Comente este artigo