Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Novo hotel de agroturismo construído em património mundial do Douro Vinhateiro

Novo hotel de agroturismo construído em património mundial do Douro Vinhateiro

Uma adega escavada no chão com 66 barricas de carvalho francês e sete quartos sobre o Douro Vinhateiro, classificado património mundial pela UNESCO, são algumas das ofertas do Douro Vineyards, o novo hotel que o grupo Vila Galé inaugurou.

O Douro Vineyards nasce na Quinta do Val Moreira, em parceria com a Madre, do empresário António Parelha, do grupo AP Hotels & Resorts, com sete unidades hoteleiras em Portugal, designadamente o Hotel Eva, em Faro (Algarve).

Um dos destaques do Douro Vineyards, localizado na margem sul do rio Douro, no Cima-Corgo, em território classificado de património mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), é uma adega escavada no chão dedicada a provas de vinho e onde estão 66 barricas de carvalho francês bem em frente a uma encosta de xisto negro de mais de três metros de altura, que emana a frescura necessária para manter o vinho a uma temperatura a rondar os 12 graus centígrados.

As provas de vinho tinto, branco e vinho do Porto podem ser realizadas na adega todos os dias, das 10:00 às 18:00, e os visitantes podem ainda apreciar em simultâneo uma obra do artista albanês Saimir Strati, com uma imagem do Douro Vinhateiro utilizando sete mil rolhas de cortiça.

É nesta adega que, segundo avançou à Lusa o administrador do grupo Vila Galé Gonçalo Rebelo de Almeida, se estima conseguir produzir cerca de “300 mil garrafas” de Val Moreira, a nova marca de vinhos do Porto e Douro criada pelo Vila Galé e a Madre, a partir do ano de 2022, usando uvas da vinha plantada em 25 hectares de terra.

Parte das vinhas que vão dar origem aos vinhos Val Moreira situa-se num outro vale afluente do Douro, que possuía uma das maiores linhas de água entre o Marmelal e a Folgosa, o Valmor.

O objetivo da produção vínica é guarnecer a nova unidade hoteleira com vinho exclusivo para as provas vínicas, restaurante e bar do empreendimento, mas também colocar no mercado as garrafas de vinho branco e tinto, acrescenta Gonçalo Rebelo de Almeida.

“Este projeto nasceu de paixão”, confessou Jorge Rebelo de Almeida, avisando as autoridades locais e nacionais que o grupo Vila Galé “quer fazer mais coisas”, porque “chegou a hora do Douro”.

A primeira fase do Douro Vineyards teve um investimento de oito milhões de euros e conta com os sete quartos com as tipologias ‘standard’, ‘suite’, ‘suite duplex’ e ‘suite deluxe’, um restaurante e bar com terraço com vista para a montanha, rio e vinhedos, e uma piscina exterior e uma biblioteca batizada com o nome do poeta e escritor Miguel Torga, onde se podem descobrir livros de Aquilino Ribeiro ou Agustina Bessa-Luís.

A segunda fase do projeto hoteleiro prevê a construção de mais 42 unidades de alojamento (quartos e ‘suites’) no início deste verão e a obra deve estar concluída em junho de 2020 e vai ter um investimento de “cinco milhões de euros”.

O Douro Vineyards nasce na centenária Quinta do Val Moreira, próxima da pitoresca aldeia do Marmelal, entre Folgosa e Pinhão, e fica bem perto de um dos dois marcos mandados construir por Marquês de Pombal em 1757, e que viriam a servir para delimitar a zona dos vinhos generosos do Douro.

O Douro Vineyards do Vila Galé abriu em ‘soft opening’ no passado dia 01 de abril e os principais clientes nos primeiros 24 dias são principalmente estrangeiros, oriundos dos EUA e do Brasil.

A expectativa é que a unidade receba principalmente hóspedes estrangeiros (60%), designadamente turistas norte-americanos, o terceiro mercado emissor no Douro, mas também turistas nacionais (40%), estimou Gonçalo Rebelo de Almeida, referindo que a unidade abriu 15 postos de trabalho na primeira fase.

“O Vila Galé Douro Vineyards é uma unidade de charme, única pela sua localização privilegiada, pela beleza da propriedade e da paisagem, pela história que lhe está associada. É também especial porque significa um reforço da nossa aposta no agroturismo e no enoturismo e, sobretudo, na área vinícola. Já produzimos vinhos e azeites regionais no Alentejo, perto de Beja, com a marca Santa Vitória. A entrada no mercado dos vinhos do Douro e do Porto com o lançamento da marca Val Moreira é mais um passo nessa estratégia”, adianta o presidente do grupo Vila Galé.

Além da produção de vinho, o grupo Vila Galé também quer fazer produção de azeite, tendo atualmente 2,5 hectares de olival, um ingrediente que vai poder ser utilizado nas propostas gastronómicas do restaurante, espaço que vai privilegiar as especialidades da região, como o cabrito e porco em forno a lenha.

Esta é a segunda unidade Vila Galé no Douro, onde o grupo já tem o Vila Galé Collection Douro, em Lamego, em frente à Régua.

A rede Vila Galé detém agora 33 unidades, com 24 em Portugal e nove no Brasil.

Lusa

Galeria de fotografias Vila Galé Douro Vineyards

 

 

 

Pode ver também

Abóbora com 65 quilos vence Festival da Abóbora em Moimenta da Beira

A abóbora mais pesada, com 65 quilos, veio da quintinha de Inácio Teixeira, de Moimenta …

Comente este artigo