Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Despejada sem ser notificada
Foto: Correio da Manhã
Foto: Correio da Manhã

Despejada sem ser notificada

Em Orgens no concelho de Viseu, uma moradora, Otília Nazaré Martins, de 66 anos, residente na localidade, recebeu no início da semana passada uma ordem de despejo.

Segundo o Correio da Manhã, a residente tem 30 dias para deixar a casa que ocupa há 47 anos por ordem do tribunal, num processo judicial de que diz “nunca ter sido notificada”.

Os problemas começaram em 2006, quando se começou a desentender com o senhorio quanto ao valor da renda e às obras a realizar na habitação, de construção antiga.

Ao Correio da Manhã, Otília referiu que foi fazendo as obras por sua “conta e risco” sem documentos dos alugueres e pagamento da renda. “Temendo o pior, passei a pagar-lhe a renda, de 45 euros, por transferência bancária. É a única prova que tenho em como vivo nesta casa”, diz Otília Martins, que na segunda-feira recebeu a notícia “mais temível”. “Veio cá uma técnica da Segurança Social dizer que fui despejada por ordem do tribunal. Só não me colocaram logo na rua porque tiveram pena”, diz a sexagenária que, garante, “nunca” foi notificada de qualquer processo judicial. “Fui julgada sem saber e sem me poder defender”, lamenta.

Agora, não tem para onde ir viver. Os três filhos não têm condições de a receber em casa, resta-lhe a ajuda da Câmara de Viseu, que lhe arranjou “uma solução problemática”: “Arranjaram-me uma casa no bairro da Paradinha, o bairro social onde mora um dos meus filhos. A casa fica ao lado de onde mora uma mulher que já me espancou”, diz.

Fonte: Correio da Manhã

 

Pode ver também

Cruzamento da EN 16 para EN 229-2

Rio de Moinhos e São Miguel de Vila Boa ganham novo padre

A Diocese de Viseu está em renovação. Vai reorganizar pastoralmente a distribuição dos párocos em …

Comente este artigo