Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Depois dos incêndios SONAE ARAUCO, em Mangualde volta a laborar

Depois dos incêndios SONAE ARAUCO, em Mangualde volta a laborar

O Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas, visitou a empresa de Mangualde – SOANE ARAUCO – e reconheceu o esforço da empresa no retomar da atividade depois dos grandes incêndios de outubro do ano passado, reconhecendo que a importância para a população, para o tecido económico e para toda a região do interior do nosso país”.

NOVA LINHA CONTÍNUA PARA PRODUÇÃO DE MDF, EM MANGUALDE

A SOANE ARAUCO, empresa resultante da parceria estratégica entre a portuguesa Sonae Indústria e a chilena Arauco, é uma das maiores produtoras mundiais de painéis derivados de madeira.

Para a empresa, os investimentos de recuperação das fábricas impactadas pelos incêndios, em Mangualde e em Oliveira do Hospital, transformaram-se na principal prioridade, reafirmando o compromisso para com os clientes, colaboradores e fornecedores destas unidades.

Em paralelo, estão em curso outros investimentos considerados vitais pela empresa “para manter a ambição de crescimento de vendas em produtos de maior valor acrescentado, como a construção de uma nova linha contínua para produção de MDF, em Mangualde”.

A empresa está, assim, “comprometida com o interior do país no sentido de gerar mais riqueza florestal e económica”, sendo exemplos disso os acordos para a gestão de áreas florestais celebrados com a Câmara Municipal de Mangualde e com as juntas de Freguesia de Freixiosa e de São João de Fresta

A SOANE ARAUCO é uma das maiores empresas no sector dos derivados de madeira, garantindo presença industrial em quatro países, onde emprega cerca de 3000 pessoas, chegando os seus produtos a mais de 75 países.

A SOANE ARAUCO, está a investir cerca de 84 milhões na Unidade de Mangualde, deste montante, 45 milhões são para a instalação da central termoelétrica, este investimento enquadra-se na estratégica de longo prazo da Sonae Capital para o seu segmento de energia e, em particular, no reforço e desenvolvimento da tecnologia de cogeração. O restante montante (cerca de 39 milhões €), foram aplicados já em parte para a recuperação da Unidade pós-incêndios de outubro e para instalação da terceira linha de produção.

 

Pode ver também

Viseu: Jovem que ateou nove incêndios vê pena reduzida para 7 anos

O Supremo Tribunal de Justiça reduziu de dez para sete anos de prisão a pena …

Comente este artigo