Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Autarca de Resende descontente com PNI não prever a ligação à ponte da Ermida.

Autarca de Resende descontente com PNI não prever a ligação à ponte da Ermida.

Os presidentes das câmaras de Baião e Resende e os líderes das distritais do PS/Porto e Viseu manifestaram descontentamento com o Governo por o Plano Nacional de Investimentos não prever a ligação à ponte da Ermida.

Reunidos em Baião para analisar o assunto, deputados dos dois distritos, acompanhados dos autarcas de Baião (Porto) e Resende (Viseu), prometeram que irão pressionar o Governo para incluir aquela infraestrutura rodoviária reclamada desde 1985.

António Borges, presidente da distrital de Viseu, e Manuel Pizarro, da distrital do Porto, acentuaram a necessidade de o executivo de António Costa ser sensível à reivindicação dos dois concelhos, em nome da coesão territorial.

António Borges disse ser “impensável que um investimento como este não esteja no PNI 2030”, deixando a ideia de que será ainda possível, na Assembleia da República, alterar aquela situação.

A variante hoje reclamada teria uma extensão de cerca de 13 quilómetros. A primeira fase, entre Baião e a EN 108, na zona de Santa Cruz do Douro, seria uma construção de raiz, com cerca de sete quilómetros. A segunda fase, até às proximidades da ponte da Ermida, numa extensão de cerca de seis quilómetros, seria através da requalificação do atual troço da EN108.

O conjunto das duas fases representaria um investimento de 26 milhões de euros.

Na reunião, que se realizou em Santa Marinha do Zêzere, no concelho de Baião, a poucos quilómetros da ponte da Ermida, sobre o Douro, que une os dois municípios e os dois distritos, foi apresentado um documento que faz a cronologia do conturbado processo, desde 1985, destacando-se os 18 estudos, a construção da ponte em 1998, inaugurada por Jorge Sampaio, e o lançamento do concurso para a variante em 2009.

Apesar de chegar a ser objeto de concurso público, a obra nunca chegou a arrancar, mantendo-se as dificuldades de ligação entre Baião e a Ponte da Ermida, infraestrutura que foi concebida e dimensionada para ser um eixo viário que ligasse a A4, em Penafiel, às A24, em Lamego, passando por Marco de Canaveses, Baião e Resende.

As duas primeiras fases foram realizadas, mas a terceira, entre Baião e a Ponte da Ermida, e a quarta, até Bigorne, nunca saíram do papel, como foi hoje lamentado pelo presidente de Resende.

 

Pode ver também

Viseu na “mira” da Unidade de Ação Fiscal na sequência da operação “Ouro Verde”

Quatro pessoas foram detidas na terça-feira por crimes de fraude fiscal no valor de cinco …

Comente este artigo