Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Assembleia Municipal de Sátão aprova integração na empresa “Águas de Viseu”
Paulo Santos presidente Câmara de Sátão

Assembleia Municipal de Sátão aprova integração na empresa “Águas de Viseu”

A maioria social-democrata da Assembleia Municipal de Sátão, aprovou a integração do concelho na futura empresa “Águas de Viseu”, que tem por objetivo gerir a rede de água e saneamento em oito concelhos do distrito de Viseu, Penalva do Castelo, Vila Nova de Paiva, Mangualde, Nelas, São Pedro do Sul, Vouzela, Viseu e Sátão.

Paulo Santos, presidente da autarquia apontou as principais razões para que o Sátão passe a integrar a empresa intermunicipal, entre elas, dificuldades no abastecimento em períodos de seca, despesas elevadas com a distribuição e a empresa tem o compromisso de garantir o abastecimento de água aos consumidores.

Uma das vantagens da empresa intermunicipal “Águas de Viseu” é a candidatura a fundos comunitários para a realização de obras no setor da água ou saneamento, salienta o autarca Paulo Santos.

Fazer parte da empresa “Águas de Viseu” o presidente da câmara de Sátão realça que também tem desvantagem, em particular, o preço a pagar pelos consumidores vai ser revisto em alta.

Paulo Santos, diz que a câmara de Sátão ao aderir à empresa “Águas de Viseu”, vão ser resolvidos vários problemas na rede de saneamento do concelho.

Apesar de a maioria do PSD na Assembleia Municipal de Sátão ter votado a favor da integração do concelho na empresa intermunicipal “Águas de Viseu”, o autarca de Sátão, diz que o município só irá fazer parte da empresa, caso os restantes municípios também venham a aprovar a integração.

A maioria do executivo autárquico e dos deputados da Assembleia Municipal de Sátão, aprovaram por maioria a integração do concelho na empresa intermunicipal “Águas de Viseu”, para gerir as redes de aguas e saneamento.

Vereadores e deputados da oposição de ambos os órgãos votaram contra.

 

Pode ver também

Viseu: Jovem que ateou nove incêndios vê pena reduzida para 7 anos

O Supremo Tribunal de Justiça reduziu de dez para sete anos de prisão a pena …

Comente este artigo