Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Sátão: 175 milhões de litros de água capturada e tratada não são faturados

Sátão: 175 milhões de litros de água capturada e tratada não são faturados

A água que é captada e tratada na Estação Elevatória de Sátão, e que é injetada na rede pública, apenas metade é faturada pelo município de Sátão.

Segundo o relatório da Entidade Reguladores dos Serviços de Águas e Resíduos, dos cerca de 700 mil metros cúbicos, apenas 342 mil são faturados ao consumidor os restantes, 370 mil m3 podem ter dois destinos, ruturas ou instituições públicas ou de solidariedade social, serviços que estão isentos de pagamento de água.

São 175 milhões de litros de água tratada, com custos para o erário publico, que atualmente a câmara de Sátão não sabe onde param.

O caso foi levantado na última reunião da assembleia municipal de Sátão, pelo deputado da oposição Paulo Mendes, que considera o caso como preocupante.

Durante um ano o concelho de Sátão tem um consumo na ordem dos 390 mil m3 de água, segundo o deputado Paulo Mendes, os cerca de 175 milhões de litros que não são faturados pelo município, daria para abastecer os consumidores, durante 11 meses

O deputado da oposição, diz ainda que o orçamento para 2018 apresentado pelo executivo municipal, não apresenta uma estratégia politica para minimizar a falta de controle, da água que é injetada na rede pública.

O problema não é novo, o atual presidente da autarquia Paulo Santos, assume que há perdas e a falta de controle da água da rede pública é uma realidade, no entanto o autarca diz que o município de Sátão está na média, mas para 2018 estão previstas alterações no controle da água da rede pública.

E com a problemática da falta de água, como aconteceu em 2017, a camara de Sátão tem prevista a construção de uma nova reserva, que há pouca mais de um mês foi anunciado pelo presidente da autarquia, na zona do Golão no rio Vouga, mas os estudos mais recentes, apontam que esta não é a zona mais viável, outro local está agora a ser estudado.

Falta de uma estratégia de controle da Água da rede publica foi um dos motivos que levou o deputado da oposição a votar contra o plano de atividades da autarquia de Sátão para 2018.

 

Pode ver também

Câmara de Viseu vai requalificar ETAR da União de Freguesias de Barreiros e Cepões

A Câmara Municipal de Viseu, anunciou a adjudicação da obra de requalificação da ETAR (Estação …

Comente este artigo