Confirmado: Não vai haver nova ligação de alternativa ao IP3 – Alive FM 89.9 FM – Viseu
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Confirmado: Não vai haver nova ligação de alternativa ao IP3

Confirmado: Não vai haver nova ligação de alternativa ao IP3

Caiu por terra a nova ligação em perfil de Autoestrada (Via-dos-Duques) e a duplicação do atual troço do IP3 não será feita na totalidade.

Estas são as conclusões da reunião que os deputados do PSD Viseu tiveram com o presidente e vice-presidente da Infraestruturas de Portugal esta quinta-feira.

Pedro Alves, da distrital social-democrata de Viseu, em declarações exclusivas à Alive Fm, diz que está confirmado o que o PSD temia, governo e partidos que o suportam, andaram a adiar a solução da nova ligação entre as cidades de Viseu e Coimbra.

A duplicação do atual traçado do IP3 não será feita na totalidade. Há várias soluções possíveis e cabe ao governo decidir a opção a implementar, podendo o investimento ir de 80 milhões de euros a mais de 300 milhões, Pedro Alves diz que o PSD espera que o governo tome rapidamente uma decisão, para que as obras se iniciem o mais rápido possível.

Perante o conhecimento de que o governo não vai avançar com a nova ligação entre as cidades de Viseu e Coimbra, o social-democratas esperam que, em particular os empresários, “saibam com que políticos estão a lidar.”

Pedro Alves, diz esperar que com esta tomada de posição política do atual governo, o mesmo venha a ser penalizado nas eleições do próximo ano.

A não duplicação na totalidade do IP3, “não é solução é inaceitável e não resolve o problema de segurança e mobilidade que existe ao nível rodoviário entre Viseu e Coimbra,” realçam os deputados do PSD Viseu.

Com esta solução, o governo, o PS, o BE e o PCP estão, uma vez mais, a enganar e a diminuir os viseenses” concluem o social-democratas.

 

Pode ver também

GNR de Viseu apreendeu 19 carros alterados para corridas ilegais

Duas pessoas foram detidas e 19 carros foram apreendidos este domingo nas áreas de serviço de …

Comente este artigo