Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3
Home / Notícias / Bispo de Viseu D. António Luciano defende “cultura de vida”

Bispo de Viseu D. António Luciano defende “cultura de vida”

O bispo de Viseu pediu hoje aos peregrinos reunidos em Fátima, para a peregrinação do 13 de junho, que se empenhem em favor de uma nova “cultura de vida”, inspirados na figura da Virgem Maria, como mãe.

“Esta mãe é exemplo da mulher e da mãe que defende a vida dos seus filhos, desde o momento da conceção até à morte natural”, declarou D. António Luciano, na homilia da Missa a que presidiu no Recinto de Oração da Cova da Iria,

“A vida é um dom de Deus que nós devemos respeitar e promover em todos os momentos da existência humana”, insistiu o responsável, que presidiu pela primeira vez a uma peregrinação internacional aniversária.

Perante peregrinos de Portugal e de países dos cinco continentes, o bispo de Viseu apresentou Fátima como “um convite à conversão, à emenda de vida”, partindo do “grande mistério da luz de Deus” que ilumina as “trevas” da humanidade.

A intervenção evocou o “grande missionário” Santo António, cuja festa se celebra hoje, num ano que a Igreja Católica em Portugal dedica em particular à Missão, bem como centenário da construção da Capelinha das Aparições, “coração” do Santuário de Fátima, e o centenário da morte de São Francisco Marto.

O responsável católico convidou todos os presentes a entregar a sua vida “ao serviço do próximo”, apelando a uma “mudança radical” do mal para o bem.

A intervenção deixou um “pedido” especial pelas crianças e jovens, “em preparação para a Jornada Mundial da Juventude” que Portugal vai receber em 2022, para que neles despertem “sentimentos de alegria e de santidade”.

O bispo de Viseu tinha presidido, na quarta-feira, à Missa da noite, nesta peregrinação internacional, alertando para “um mundo esfacelado por tantas divisões, por tantas pessoas que continuam a abandonar os seus países, fazendo longos percursos humanos para fugirem à perseguição, à fome, à guerra e à falta de condições de vida.

“Queremos olhar para eles como nossos irmãos, pedindo à Virgem Maria, a Senhora das mãos orantes, que cuide deles com um amor de Mãe carinhosa que sabe cuidar de nós neste vale de lágrimas” afirmou.

D. António Luciano sublinhou a importância da mensagem “de amor, de esperança e de paz” deixada por Nossa Senhora em Fátima, há cem anos.

Agência Ecclesia

 

Pode ver também

Compras de Natal ainda não chegou ao centro histórico de Viseu

A agitação das compras de Natal ainda não chegou às lojas do centro histórico de …

Comente este artigo